Como Cuidar de Orquídeas

Como Cuidar de Orquídeas

As orquídeas são plantas de beleza única e, por isso, aprenda como cuidar de orquídeas, que são apreciadas por pessoas em todo o mundo. No entanto, nem sempre é fácil cultivar essa planta, que exige uma série de cuidados. Além disso, ao optar por uma de suas espécies, o melhor é escolher aquelas que se adaptem ao seu clima mais facilmente.

Embora não seja impossível, mesmo as orquídeas nativas de lugares com temperaturas bem diferentes da onde você reside podem se desenvolverem de forma adequada e delas brotarem lindas folhas. Ou seja, de forma geral, a maioria das orquídeas prefere as temperaturas mais amenas, embora existam também as que se adaptem bem aos dias mais quentes.

Mas se você deseja ter uma espécie que combina mais com o calor na sua região que é mais fria ou vice-versa é possível, desde que tenha todos os cuidados necessários. Mesmo quando elas estão nos lugares mais propícios, é preciso muita dedicação ao cultivo de orquídeas.
Veja a seguir dicas fundamentais para cada uma das etapas que constituem os cuidados essenciais dessas plantas encantadoras.

O lugar certo para colocar a orquídea

A primeira preocupação que se deve ter ao cultivar orquídeas é escolher o recipiente certo para plantá-las. Os mais indicados para essas plantas são os vasos de barro, que possuem uma melhor drenagem, o que é essencial para o bom desenvolvimento da orquídea.

Mas não é só isso, é importante saber o lugar certo para colocar a sua orquídea em casa. Questões de luminosidade, ventilação e ventilação são essenciais para que essas plantas cresçam de forma adequada e ofereçam lindas flores no período de floração.

Veja como cuidar de orquídeas
Veja como cuidar de orquídeas

Luminosidade

Essa talvez seja a questão mais importante ao saber como cultivar orquídeas. A luminosidade é fundamental para o seu desenvolvimento, sendo que, embora o melhor seja que elas fiquem dentro de casa, precisam de luz em abundância. Em geral, o mais indicado é que as orquídeas recebam sol no horário da manhã, mas só até às 9h.

Depois desse horário, os raios solares se tornam mais intensos e menos favoráveis para a planta. Da mesma forma, se elas recebem sol pela tarde, o melhor é que seja apenas depois das 16 horas, quando o sol começa a perder a sua intensidade. Assim, o lugar certo para a planta é ficar próxima às janelas ou nas varandas.

Mesmo que haja esse cuidado, é fundamental que a planta tome sol, caso contrário, ela pode não florescer. Por outro lado, vale lembrar que cada espécie possui as suas peculiaridades, tornando-se imprescindível conhecer os seus cuidados específicos. Algumas delas vivem muito bem mesmo sem receber sol direto, desde que haja abundância de luminosidade.

Outra dica para a planta receber toda a luminosidade que precisa é ser trocada de lugar conforme a necessidade. No entanto, é necessário dizer que nenhuma planta aceita muito bem ser removida com frequência.

Ventilação

A ventilação é outro fator de extrema importância para o crescimento adequado da orquídea. Mesmo com muita luminosidade, é preciso que o local onde a planta fique seja bem arejado, ou seja, circule vento. Mais uma vez, varandas e o lado das janelas são lugares estratégicos para elas serem cultivadas.

Mas essas plantas gostam de uma brisa suave e constante, por isso, se houver ventania ou mesmo se for inverno e o frio estiver deixando o vento gelado, tudo isso pode prejudicar a orquídea. Nesse caso, quando o vento for desfavorável para a planta, o melhor pode ser oferecer a ela o vento mais ameno de um ventilador.

Temperatura

Para fechar o trio mais importante na hora de escolher o lugar ideal para cultivar a sua orquídea, é preciso saber quais são os cuidados que se deve ter com a temperatura do local. Embora, mais uma vez, seja importante frisar que nem todas as orquídeas possuem as mesmas necessidades, de forma geral, elas não apreciam as temperaturas constantes.

Assim como na natureza, essas plantas gostam de sentir a variação da temperatura, sendo que, em média, as 24 horas do dia contam com 15 graus de diferença. Quando as orquídeas estão em varandas, portanto, recebem essa mudança. Mas o frio extremo não é bom e, se a sua cidade ficar menos 15 graus, o melhor é recolhê-la para dentro de casa.
Veja Abaixo Como Cuidar de Orquídeas com a irrigação.

Temperatura Ideal - Veja Como cuidar de Orquídeas
Temperatura Ideal – Veja Como cuidar de Orquídeas

Irrigação

Irrigação Frequente

As orquídeas gostam de se sentirem úmidas, mas não encharcadas, por isso, é necessário irrigar a sua planta com frequência, mas sempre com o cuidado de não molhá-la demais. Em geral, recomenda-se que essas plantas sejam irrigadas de modo abundante de duas a três vezes por semana.

Mesmo assim, nos demais dias você pode apenas borrifar água nas suas folhas para que elas mantenham a umidade, o que é ainda mais fundamental nos lugares de clima quente. O melhor é vaporizá-las quando não estiverem sob o sol, como de manhã cedo ou no final da tarde. Outra dica para não errar ao irrigar é nunca deixar pratinho embaixo do vaso.

Cuidado Para Não Exagerar

Embora essa medida seja muito comum ao cultivar plantas, ao fazer isso com as orquídeas corre-se o risco de apodrecer as suas raízes. Já para saber se está ou não na hora de molhar a planta, basta colocar o dedo dentro do substrato. Se ainda estiver úmido então não é preciso irrigá-la.

Outra dica de irrigação é pesar o vaso da planta antes de ser irrigado e depois, assim, quando o peso estiver igual ao vaso sem ter sido irrigado, então, está na hora de molhar a sua planta. Usar água morna para molhar a planta de manhã também ajuda a evitar o apodrecimento da sua raiz, pois ela seca mais rapidamente.

Adubação

A adubação é mais uma parte essencial do correto cultivo de orquídeas, sendo que existem os nutrientes orgânicos e os minerais. Alguns especialistas indicam que as plantas devem ser adubadas uma vez por semana, preferencialmente, com a fórmula NPK 20-20-20, os quais são formados por nitrogênio, fósforo e potássio.

No entanto, é importante oferecer outros minerais às plantas, por meio da adubação orgânica, que pode ser feita através de farinha de osso e torta de mamona, por exemplo. Já para aplicar, o ideal é que os fertilizantes, quando líquidos, sejam adicionados à água para pulverizar a planta. É essencial ainda seguir as recomendações da embalagem quanto às medidas.

Além disso, o adubo deve ser aplicado na parte inferior das folhas, onde estão os estômatos, responsáveis por absorver não só os nutrientes, como a água também. Já os demais nutrientes que são importantes às orquídeas são os seguintes:

• Enxofre;
• Magnésio;
• Cálcio.

Orquídeas Catleyas - Como cuidar de orquídeas
Orquídeas Catleyas – Como cuidar de orquídeas

Como prevenir e tratar pragas e doenças

Além de ter lindas orquídeas, cultivá-las de forma adequada e com todos os cuidados vai evitar que sejam atacadas por pragas e doenças, pois estará forte e resistente. No entanto, mesmo com toda a atenção necessária, é possível que os problemas apareçam. No caso dos fungos, o mais comum é de surgirem devido ao excesso de umidade.

Mas também é possível se prevenir desses problemas. Além de cuidar para que a planta não fique muito umedecida, sempre que tesouras e outras ferramentas forem usadas no seu jardim é importante lavá-las bem para que possíveis doenças não contaminem outras plantas.

As cochonilhas são os fungos mais comuns que atacam as orquídeas. Essas pragas podem ser removidas manualmente da sua planta, mas se existem muitos vasos, o mais eficiente pode ser apelar para os defensivos. Existem, hoje em dia, em lojas especializadas, produtos com fórmula natural, que são as melhores opções.

Nesse sentido, os fungicidas sistêmicos agridem menos a planta, uma vez que atuam na seiva. De qualquer forma, independente do produto a ser usado, é de extrema necessária se manter atento à dosagem para não usar do que necessário do produto.

Existem muitas outras pragas comuns em orquídeas, veja quais são outros exemplos:

• Lesmas;
• Percevejo;
• Pulgão;
• Besouro;
• Podridão negra;
• Larva-alfinete.

Também existem receitas caseiras para tratar infestações dessas pragas. As cochonilhas e os pulgões podem ser eliminados com uma solução, que deve ser pulverizada, contendo sabão de coco e alho. Para a receita, é preciso um litro de água quente, uma colher de sabão de coco (raspas) e três dentes de alho amassado. Ao pulverizar a água deve estar fria.

As pragas que mastigam as folhas podem ser eliminadas com tintura de fumo, que é feito picando 10 cm de fumo de corda e colocando em um litro de álcool. Depois de engarrafado em um vidro escuro e longe da luz, o litro da tintura deve ser diluído em 10 de litros de água. Da mesma forma, deve ser pulverizado na planta.

Aprenda como cuidar de orquídeas e Tenha Lindas Flores
Aprenda como cuidar de orquídeas e Tenha Lindas Flores

Como escolher substrato para orquídeas

Embora existam orquídeas que se adaptem bem na terra, as espécies que são cultivadas em vasos, de modo geral, precisam do substrato, que é formado por matéria orgânica. Existem diferentes tipos e eles podem até mesmo serem combinados, para se tornarem mais eficientes.

Veja alguns exemplos de substrato para orquídeas:

• Carvão vegetal: é ideal para plantas que ficam em locais úmidos, pois ajuda a prevenir o apodrecimento das raízes. Além de ser um bactericida natural, o que significa que previne as pragas, ajuda em muito na drenagem. Dura em média três anos, depois deve ser trocado.
• Casca de pinus: possui muitas vantagens, como ser leve, reter umidade e ventilar as raízes, por isso, é um tipo de substrato muito usado para as orquídeas. Também dura cerca de três anos.
• Sfagnum: é um musgo ainda mais leve, seco e bastante macio, sendo outro substrato amplamente usado em orquídeas. Retém com eficiência a umidade, mas a sua vida útil é de apenas um ano, por isso, combina bem com as plantas mais jovens e que habitem climas mais frios.
• Casca ou tronco de madeiras: o melhor é que sejam de espécies como peroba rosa e de árvores frutíferas com casca grossa. São bem indicadas, desde que tenham porosidade suficiente para promover o enraizamento da planta.
• Casca de macadâmia: é durável, podendo ser usada por cinco anos em média, além de ser compacta e possuir boa drenagem. Também ajuda na floração da orquídea por conter ácido fítico.

Como Cuidar de Orquídeas ao Transplantar

Quando Transplantar

Mesmo com todos os cuidados necessários para o adequado cultivo das orquídeas, é necessário que de tempos em tempos a planta tenha que mudar de vaso. Nessa hora, é preciso saber como fazer o seu correto transplante para evitar machucá-la. Já o momento certo de transplantá-la mais comum é quando o seu substrato está velho e precisa ser trocado.
No entanto, existem outras situações, como quando a planta cresceu e está apertada no vaso, quando o vaso quebrou ou mesmo quando, devido a doenças e pragas, parte da planta está apodrecendo. Como já foi dito, o melhor é escolher um vaso de barro, pois ele oferece uma melhor drenagem, evitando que a planta fique úmida demais e a sua raiz apodreça.
Como cuidar de orquídeas na preparação do vaso.

Preparando o Vaso

Enquanto você prepara o novo vaso para receber a sua planta, aproveite para deixar a orquídea de molho na água por algumas horas, assim, as suas raízes vão, mais facilmente, se desprender do antigo recipiente. Já o novo vaso deve receber primeiro uma camada de pedras, as quais são essenciais para a correta drenagem.
O próximo passo é colocar terra especial para orquídeas ou um substrato adequado, o qual pode ser feito com uma série de materiais, citados anteriormente. Por fim, molhe o vaso, para só depois replantar a orquídea. Para remover a planta do antigo vaso é preciso ter cuidado para não danificar as suas raízes.

Cuidados ao Transplantar

Também é necessário retirar todo o antigo substrato da planta antes de transplantá-la para o novo vaso. Se for necessário, enxágue a planta com delicadeza em água corrente para remover tudo. Se houver folhas danificadas, elas também podem ser retiradas, bem como caules que estejam podres.
Para cicatrizar os locais cortados, pó de canela pode ser aplicado onde foram feitos os cortes. Além disso, as orquídeas levam em média uma semana para se adaptarem ao novo vaso. Nesse período, o melhor é que elas permaneçam na sombra e sejam regadas apenas com borrifador. Seguindo essas dicas, você terá, durante todo o ano, belíssimas orquídeas para enfeitar o seu lar.

Esperamos ter ajudado voce a aprender Como Cuidar de Orquídeas, para mais informações veja aqui mais sobre Orquídeas
Conheça a Associação Orquidófila de São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat